Artigo: Os impactos do vídeo nos pacientes e nas experiências clínicas

Pangea temporary hotfixes here
reunião por vídeo

No mundo todo, o sistema de saúde está em uma encruzilhada com o impacto do aumento de doenças crônicas e com a pandemia exigindo a urgência de se unir comprometimento dos pacientes, gestão da saúde da população e iniciativas da saúde pública como nunca antes visto. A pandemia também colocou a telessaúde na linha de frente como uma das ferramentas principais para atingir esse objetivo, devido à ascensão da telessaúde por vídeo nos últimos dois anos.

Ampliar a experiência dos pacientes também é de extrema importância, uma vez que a consumerização da área da saúde passou a ter novas demandas e expectativas por parte dos pacientes nos sistemas de saúde do mundo todo. Por fim, profissionais da saúde buscam melhorar essa experiência ao mesmo tempo em que tentam melhorar as experiências clínicas e sua eficiência, além de produzir resultados positivos na saúde.

Essa é uma tarefa complexa, mas a telessaúde promete ter inúmeros benefícios que permitem que pacientes e profissionais da saúde possam se conectar em qualquer lugar e a qualquer hora. Além disso, ela permite que os profissionais tenham mais disponibilidade e pode reduzir o esgotamento clínico, um problema preocupante que cresce cada vez mais no setor.

A assistência médica virtual chegou, mas tecnicamente a experiência é incompleta

Embora esteja claro que a consulta virtual chegou para ficar, assumir diversos desafios ao mesmo tempo e possivelmente transformar o atendimento clínico, a experiência com telessaúde ainda é incompleta em muitas áreas. Um dos pontos principais é que a qualidade do vídeo continua sendo um desafio técnico, impedindo que a telessaúde atinja todo seu potencial e que o atendimento remoto tenha mais avanços.

A pesquisa Experiência de atendimento virtual global feita pela Escalent, em parceria com a Logitech, descobriu que 82% dos profissionais têm tido sérios problemas com a qualidade de vídeo que oferecem aos pacientes. Os participantes da pesquisa (que inclui pacientes e profissionais da saúde do mundo todo) disseram que para a experiência com a telessaúde ser positiva, a qualidade do vídeo oferecida pelo profissional do sistema de saúde deve ser uma prioridade. Mais de 9 a cada 10 participantes (97% dos pacientes, 98% dos profissionais) indicaram que isso tinha alguma importância para se alcançar a experiência com telessaúde. Além disso, 

  • 51% dos profissionais estava insatisfeito com a capacidade de zoom das câmeras
  • 34% estavam insatisfeitos com a resolução do vídeo
  • 34% estavam insatisfeitos com a dificuldade na conexão
 
93% relataram que a qualidade do vídeo é de suma importância para a experiência do paciente, e que uma qualidade ruim reduz a possibilidade de que o paciente escolha o atendimento por telessaúde novamente (92%). Mais de dois terços (68%) dos profissionais da saúde no mundo temem que a baixa qualidade de vídeo possa levar seus pacientes a escolher outro profissional.
 
Mas por que o vídeo é tão importante?

Mantendo conexão humana na assistência médica virtual

Para que a telessaúde chegue ao estágio final de entrega, é essencial que os profissionais priorizem a qualidade do vídeo para estabelecer uma imersão e conexão humana na experiência de assistência virtual, esteja o profissional trabalhando de forma presencial ou remota.

Se ele estiver presente e o paciente estiver remoto, ainda assim o profissional precisa entregar a mesma qualidade de conexão de um atendimento presencial. A pesquisa revelou que apesar de 86% dos profissionais acreditar que a telessaúde permite aos pacientes receber assistência que não receberiam de outra maneira, apenas 46% acredita que a telessaúde por vídeo é mais eficiente que os atendimentos presenciais. 

Embora parte disso seja devido às dificuldades constantes de descobrir onde a telessaúde possa ser usada de forma adequada na assistência médica, uma parte desse receio também pode estar relacionada às limitações tecnológicas. Com os relatos de 82% dos profissionais sobre problemas com a qualidade de vídeo e 77% deles acreditando que a qualidade de vídeo é um fator crítico para passar uma imagem profissional aos pacientes, fica claro que eles estão frustrados com os impactos técnicos da experiência da telessaúde. Eles estão percebendo a importância do vídeo para se estabelecer confiança e, por fim, promover a adesão dos planos de tratamento e resultados positivos.

Outro exemplo da importância da qualidade de vídeo é quando um profissional realiza um atendimento virtual em home office, onde a nitidez do vídeo e a habilidade de movimentar a câmera e de dar zoom sem perder qualidade visual são essenciais para o uso de vídeo com eficiência no quarto de um paciente. Seja na teledermatologia, na teleoftalmologia ou em outras áreas, uma qualidade perfeita de imagem não é luxo, mas sim necessidade.

Reunião por vídeo entre um paciente e um médico

Apesar de pacientes usarem diversas formas de tecnologia para participar de uma consulta virtual, os profissionais da saúde podem fazer sua parte no atendimento e proporcionar uma experiência positiva para os pacientes com as tecnologias atuais disponíveis:

  • Seja em um consultório ou em casa, a simples mas potente webcam Logitech BRIO, acompanhada do aplicativo Logi Tune, permite que os profissionais da saúde se apresentem da melhor maneira possível e estabeleçam uma relação sólida de confiança com seus pacientes.
  • Quartos de pacientes, salas de exames e equipamentos móveis podem ser equipados com as câmeras de conferência all-in-one Logitech MeetUp, que deixam qualquer espaço pronto para a telessaúde. Com uma MeetUp, profissionais da saúde podem interagir com seus pacientes de qualquer lugar, com a confiança de que terão resolução 4K Ultra HD, zoom de 5x em HD, sistema de caixa de som de alcance total, matriz de microfone com formação de feixe e uma lente móvel motorizada, tudo em um dispositivo moderno.
  • Observe, monitore e examine pacientes à distância com total clareza de imagem com a Logitech Rally Camera, um dispositivo incomparável na categoria. Ela possui panorâmica, inclinação e zoom mecânicos, campo de visão diagonal de 90°, zoom nítido de 15x em HD, um poderoso sensor 4K e tecnologia Logitech RightLight™.

 

Embora a telessaúde esteja se consolidando, ainda não teve o efeito transformativo em larga escala que pode solucionar a sobrecarga do sistema de saúde no mundo todo. Em uma época imprevisível e cheia de complexidades, chegou a hora de os profissionais da saúde otimizarem o uso da tecnologia para melhorar a experiência nas assistências médicas virtuais. Assim, tanto eles quanto os pacientes aproveitarão ao máximo essa modalidade em ascensão.

Saiba mais sobre a nova pesquisa de Experiência de atendimento virtual global com o podcast da American Telemedicine Association, The Source: A Global Review of Sentiments on Video-Enabled Virtual Care.

     

VOCÊ TAMBÉM PODE TER INTERESSE EM

Relatório de pesquisa da Escalent

Relatório de pesquisa da Escalent: Insights sobre a experiência de atendimento virtual global

Em parceria com a Logitech, a Escalent oferece um estudo abrangente sobre a opinião de pacientes e profissionais da saúde em todo o mundo em relação à telessaúde por vídeo.

Frost and Sullivan

Ebook: Como manter um crescimento sustentável na assistência virtual

Confira este Ebook da Frost & Sullivan para saber como a qualidade aprimorada da tecnologia de telessaúde permitirá o alinhamento da infraestrutura de saúde digital com a demanda dos consumidores.

Informe oficial da Frost & Sullivan

INFORME OFICIAL: COMO APLICAR OS ENSINAMENTOS DA COVID-19 À TELESSAÚDE

A pandemia de Covid-19 proporcionou importantes ensinamentos sobre telessaúde e colaboração por vídeo. Leia esta análise da Frost & Sullivan para obter recomendações sobre tecnologia.

SUPORTE

FIQUE CONECTADO